Número total de visualizações de página

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

LAMEGO CONVIDA (ACTO II) .... OS DESPEDIMENTOS !!!






A situação de desemprego de qualquer pessoa pelas consequências pessoais e familiares em que a coloca, causa-nos grande angústia, desassossego e aperto.
A extinção da Lamego Convida atira para o tormento e agonia do desemprego 10 trabalhadores.
Os restantes 17 serão cedidos à Câmara, mas apenas pelo prazo máximo de 1 ano, caducando o contrato que tinham sem prazo e por tempo indeterminado.
Quaisquer que tenham sido as nuances das suas contratações e que na altura provocaram falatórios muito conversados, os 10 trabalhadores despedidos e os 17 que ficarão na corda banda por 1 ano, acreditamos que todos foram contratados porque as actividades que competiam à Câmara Municipal fazer e que foram atiradas para a Lamego Convida, o justificavam.
Se Francisco Lopes e Paulo Correia não tivessem andado nas girandices financeiras brincando às empresas municipais, se a Câmara de Lamego tivesse assumido as suas competências e não tivesse entregue o Teatro Ribeiro Conceição, as piscinas, o pavilhão Álvaro Magalhães à Lamego Convida, estes trabalhadores necessários às respectivas actividades, hoje pertenceriam aos quadros da Câmara Municipal !!!!
A Lamego Convida, a Lamego Renova, o multiusos, as gastações desenfreadas, os Eixos Barrocos ….. têm destas consequências !!!! 
 

 

 

O CASPER diz que há gente que precisava de amargar as agruras da vida para saber o que custa não ter pão para comer e padecer com as consequências das treslouquices de outros   

sábado, 23 de fevereiro de 2013

LAMEGO CONVIDA ( ACTO I) .... O ABISMO !!!!





19 de Fevereiro de 2013……… PUM !
Decidido……… PUM !
Extinção da excelsa Lamego Convida……….. PUM !  
A maravilhosa empresa municipal do Francisco Lopes e do Paulo Correia …. PUM ! PUM ! PUM!
A magnificente Lamego Convida que fazia exactamente o que por lei compete a uma Câmara Municipal fazer  ……. para surpresa, das surpresas surpreendentes  …. tinha resultados super, mega, híper ….. negativos .... e por isso teve de ser extinta !!!!
Nos anos de 2009, 2010 e 2011 a média das suas receitas ficou-se pelos 20,33 %.
A média dos restantes 74,40% necessários ao engrossamento, foi entregue pelo Francisco Lopes presidente da Câmara, com os aplausos da sua Companhia Limitada, ao Francisco Lopes administrador da Lamego Convida ….
Paulo Correia inventava … inventava … números …. números …. financiamentos …. planos … previsões de rentabilidades até 2036 carregadinhos de euros dourados !!!!
Para fazer o que a Câmara Municipal deveria fazer …. a Lamego Convida “não lhe cobrava”, simplesmente recebia as montanhas de euros que só nos anos de 2009, 2010 e 2011 representaram um engrossamento médio de 74,40% !!!!
Brilhante!  Radioso ! Reluzente ! Resplandecente ! Florescente !
Já tínhamos dado conta que a sublime, admirável, esplêndida, soberba, majestosa, transcendente, extraordinária, divinal, grandíloqua Lamego Convida do Francisco Lopes e do Paulo Correia era uma abismal, assombrosa, profunda, aterradora, insondável ……. sanguessuga de dinheiros públicos.
Já tínhamos dado conta que a Lamego Convida só foi criada para possibilitar umas mirambulisses financeiras que agora ….  cairão como raios, coriscos e trovões, impetuosamente em cima da Câmara do Francisco Lopes.
Extinta.  PUM !
Segue-se o abismo da catrozada da consolidação das contas endividadas da Lamego Convida com as da falida Câmara de Lamego.
Segue-se a catrozada dos 49% endividados que a Lamego Convida assumiu na Lamego Renova e no estrangalhado multiusos que também irão sentar-se na Câmara de Lamego.
PUM ! PUM ! PUM !
É o abismo …. abismado …. abissal !!!!!

 

 

O CASPER está convencido que o Francisco Lopes não pôs os pés na reunião de Câmara do dia extintivo da sua Lamego Convida porque tal como Paulo Correia, não conseguem disfarçar a sua tremenda comoção lacrimosa.


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

ILUMINAÇÕES EM CURTO CIRCUITO ...

 
 
 
 
 
 
O CASPER diz que quando os euros saem dos bolsos dos outros e não há afectos arraigados para com as populações, a sua história, o seu património e a sua cultura as idiotices brotam a rodos e vendem-se luminosas até ao curto-circuito final.   
 

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

A ARDÊNCIA REPETITIVA ....







A ardência soma e segue a uma tal velocidade que nem os escombros se safarão de ficar reduzidos a cinzas ….
A Serra das Meadas bem precisava de ser reflorestada, mas com a ardência que vai na Câmara de Lamego cheira-nos que a serra vai ficar sem reflorestação ....
Reflorestar, só mesmo se o Lourenço da Junta de Freguesia de Almacave que também está muito habituado a estas cenas das ardências, convencer o Pinto a convencer o Francisco Lopes a tentar vender a ferrugem que retirou do tejadilho do multiusos e estacionou no chão, para ver se lhe rende uns euritos que lhe possibilitem a compra de umas arvorezitas ...    
 

 

 

O CASPER  diz que esta coisa da falta de fundos camarários e das violações à lei dos compromissos e pagamentos em atraso, às obrigações do PAEL e saneamento financeiro é tão, tão, tão repetitiva na Câmara do Francisco Lopes que já começa a ser muito maçadora …  

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

ESPECTÁCULO ... ESPECTACULANTE !!!!







No início de todos os anos a Câmara de Lamego celebra Protocolos com as Juntas de Freguesia delegando-lhes competências, como a limpeza dos caminhos, e atribui-lhes as respectivas verbas.
Nos últimos anos os pagamentos destas verbas arrastam-se … arrastam-se … e as dividas às Juntas de Freguesia constam até do rol dos calotes do PAEL e Saneamento Financeiro Municipal.
Em 2013 a cena repete-se. Protocolos, delegação de competências, atribuição de verbas num total de 426.302,95€.
Fundos para pagar estes euros às Juntas de Freguesia, há ?????
Não. Não há fundos disponíveis.
Problema para Francisco Lopes & Companhia ? Não.
Lei dos Compromissos e Pagamentos em atraso, obrigações assumidas com o PAEL e Saneamento financeiro são impedimentos obstaculizantes ? Não
A cena é ... que se lixem as violações à Lei, as obrigações assumidas com governo no PAEL e Saneamento Financeiro Municipal e a falta de fundos disponíveis.
As verbas para as Juntas de Freguesia sem que haja cheta …. para lhes entregar … foram aprovadinhas.
O importante é mesmo, que o espetáculo, os holofotes e a ribalta prossigam ….. 
 

 

 

O CASPER diz que uma Câmara Municipal começar o ano com fundos (in)disponíveis de mais de 2 milhões negativos é um espectáculo,  espectaculante e sublimemente nauseabundo. 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

À BOLEIA .... PELO ENCAIXAMENTO ....





O encaixamento do emirato financeiro Paulo Correia estará em vias de ser resolvido.

Tem havido bué de contactos ao mais alto nível laranja para que o outro Paulo, que é Macedo e manda no Ministério da Saúde, aceite o pedido de boleia para a nomeação do emirato financeiro como administrador do novo hospital de Lamego !!!

 

 

O CASPER  assegura que do curriculum que acompanhou o pedido de boleia do emirato não constam os resultados financeiros escalamitosos que atracou como administrador da Lamego Convida  

domingo, 10 de fevereiro de 2013

PETIÇÃO PÚBLICA "NÃO À DESTRUIÇÃO DO PATRIMÓNIO HISTÓRICO E CULTURAL DE LAMEGO "









Teresa Maia é a autora da Petição Pública “Não à destruição do património histórico e cultural de Lamego” que pretende impedir a execução do Eixo Barroco e o assassinato das Avenidas Dr. Alfredo de Sousa e Visconde Guedes Teixeira, que com a sua arquitetura centenária, enquadramento histórico e patrimonial contituem uma parte muito importante da identidade de Lamego.
A curiosidade é que não sendo natural de Lamego, Teresa Maia aqui residiu alguns anos e pelas razões que invocou como fundamentos da Petição Pública (cuja leitura se recomenda) percebe-se o quanto Lamego a “amarrou” e “marcou” definitivamente.
Teresa Maia remeteu-nos um texto que aqui publicamos com a sua autorização expressa e em que partilha os motivos que a conduziram até à Petição Publica  “Não à destruição do património histórico e cultural de Lamego”.
“ ….  Acabei de ler o seu artigo sobre a petição e talvez seja melhor informa-lo de que a petição foi criada unicamente por uma autora, eu.

Como pessoa individual que sou, com cérebro e ideias próprias, criei a petição exactamente porque “Se calhar terá sido esta adjudicação, que provou aos incrédulos que a preservação do património, da história e da cultura de Lamego patenteados nas Avenidas Dr. Alfredo de Sousa e Visconde Guedes Teixeira poderão mesmo ir pelo cano abaixo, ou melhor dizendo, pelos empedrulhamentos abaixo …”.

Não estou ligada a partidos nem grupos anti ou pró presidente.
Sou uma pessoa individual contra o projecto e contra a persistência do criador em o manter, independentemente se é do ps ou psd.
Fiquei realmente incrédula com a aprovação do projecto e da falta de participação dos habitantes de Lamego, como já é usual no que toca aos interesses da comunidade.
Não nasci em Lamego, vivi bastantes anos aí e há vários anos que não moro mas, mantenho raízes, algumas visitas e conhecimento dos grandes acontecimentos como este projecto.
Face realmente à impassividade da população lamecense, ainda que de longe, teria que fazer alguma coisa para tentar impedir ou quanto mais não seja, acordar consciências. O património em Lamego, pertence a todos os portugueses e o dinheiro gasto no projecto sai do bolso de todos os contribuintes.
A petição não foi criada de ânimo leve nem com qualquer sentido político. Foi criada por dever cívico, como cidadã e contribuinte, que continua a achar que uma coisa antiga, artística e funcional nunca deveria ser substituída por uma banal, cara e com ares de “novo-rico saloio”.  

Não conheço o presidente da câmara, sou apartidária e guerras (tardias ou actuais) entre partidos não é o que me move. Perde-se demasiado tempo com floreados políticos em vez de se cingirem ao que interessa.
O que me move é a situação em si, de ver que dentro de pouco tempo, se realmente começarem as obras, tudo aquilo irá abaixo e depois...já não há nada a fazer.
A população deveria ser sensibilizada para conhecer o projecto e o que isso significará, tanto em termos de gastos desnecessários como pela perda de identidade que Lamego sofrerá e ser-lhes dado conhecimento também da existência da petição para que possam dar a sua opinião.

E é tudo isso e só o que pretendo, como autora “a solo” da petição.

Obrigada,
Teresa Maia “

 

Teresa Maia fez a sua parte. Uma parte importante, arrojada e bem demonstrativa da marca patrimonial, histórica e cultural que Lamego impõe a quem por cá passa. É esta marca que pretendem matar !!!
Sobre os Lamecenses fica agora a possibilidade do ónus de dizerem, o que querem.   
Ou, seguem o seu exemplo, defendem a nossa identidade, história, património e cultura e impedem que transformem Lamego numa cidade igual a tantas outras …. empedradas, sóbrias, sem luz e cor, sem passado ….
Ou, simplesmente …. deixam correr, permitindo que transformem um dos corações de Lamego numa coisa invertebrada e incaracteristica !
Se pensa como a Teresa Maia ……. aqui fica o endereço para que possa subscrever a Petição Pública Não à destruição do património histórico e cultural de Lamego:

 

 

O CASPER diz que a Teresa Maia merece bem ser coroada com o título de Lamecense de raiz e pede-lhe que regresse a Lamego e por cá fique definitivamente.  

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O ANÚNCIO DO FUNERAL ....





 Que a Lamego Convida é uma calamidade, sabíamos.
Que desde o seu nascimento é uma sanguessuga dos dinheiros camarários, sabíamos.
Que em todo o tempo da sua vida, a Lamego Convida nunca cumpriu nenhum dos critérios de solvabilidade, sabíamos.
Que só serviu como cardápio para engendrices financeiras, sabíamos.
Que por ser um desastre falido tinha de ser extinta, sabíamos.
Que é verdade que algumas vozes avisaram que a Lamego Convida seria calamitosa para Lamego e que não passava de uma sanguessuga dos dinheiros públicos camarários, é verdade.  
Que o pai da Lamego Convida Francisco Lopes, quando ouviu estes avisos, chamou os avisantes de incompetentes invejosos e vestindo a pele de virgem ofendida foi para o Tribunal fazer queixa deles, é verdade.
Que sem margem para mais manobras e ceifadas todas as possibilidades de continuar a esconder, Francisco Lopes reconhece agora à Lusa que a Lamego Convida em 2010, 2011 e 2012 não cumpriu nenhum dos requisitos legais ( a avaliação pela DGAL e DGF só foi feita com recurso aos 3 últimos anos), é verdade.
Que vamos assistir ao funeral da Lamego Convida, vamos.
Que todas as calamidades da Lamego Convida, entrarão como um tsunami pela porta da entro da Câmara de Lamego, é verdade.
Que o estrondo do estouro vai ser …. bué, bué de funesto, vai !!!!
 

 

O CASPER diz que devíamos pedir à Lusa para perguntar também ao Francisco Lopes sobre a filha empresa público privada Lamego Renova ….  lembrando que a Lamego Convida é sócia da Renova ao lado dos Irmãos Cavaco, dos Gabriéis Coutos e dos Marinhos. 

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

VITÓRIA NA ADEGA COOPERATIVA DE LAMEGO .... MESMO SEM O APOIO DA CÂMARA DE LAMEGO !!!!





A Adega Cooperativa de Lamego bateu no fundo do buraco negro quando por lá passou o wrestling Amândio da Fonseca, e ainda hoje se mantêm pendurados recursos das acções judiciais que pretendiam reaver os desviados …

A crise das adegas, da agricultura e viticultura não permitiram aliviar a carga e a declaração de insolvência estava eminente quando José Manuel Santos, resolveu assentar arrais na Adega para a recuperar com base num projeto de viabilização financeira que contou com o assentamento dos seus credores: Bancos, fornecedores e associados.
A divida total da Adega Cooperativa em 2012 rondava os 12 milhões e trezentos mil euros e para se recuperar e meter nos trilhos para iniciar o tal plano de recuperação aceite por todos os credores, pediu à Câmara de Lamego um apoio financeiro de 60.000€.
Francisco Lopes que é um Presidente de Câmara muito, e completamente cumpridor da Lei dos Compromissos e Pagamentos em atraso, não esteve para aí virado e justificou a nega com a informação de falta de fundos, prestada pelos Serviços Financeiros camarários…..
Sim senhor. Francisco Lopes & C.ª costumam fazer assim! Quando os Serviços Financeiros dizem que não há fundos e por isso não cabimentam os montantes …. os senhores decidem logo, e a correr muito, que não dão subsídios, não compram a prestação de serviços ….
Mas a justificação para a nega foi até mais aprofundada, não fosse alguém compará-la com outras situações apoiativas em que os fundos ausentes não foram justificativos ….
Um parecer que considerou que este apoio não dava “contrapartidas para o município, nem directas, nem indirectas, nem difusas” !!!!
Ficamos assim a saber que esta coisa dos apoios tem de ter contrapartidas para o município …
E se assim é não percebemos porque é que o Presidente da Adega José Manuel não se lembrou de descarregar nos Paços do Concelho umas garrafinhas de vinhaça ou uns contentores de uvas vindimadas ….  A Câmara poupava no champanhe e com esta contrapartida esta parte justificativa para a nega de apoio, ia-se !!!
Também ficamos a saber, que os 1.000 agricultores associados e os trabalhadores da Adega que movimentam o nosso sector agrícola vitivinícola são coisas assim do tipo … sem importância, sem utilidade para a economia local e até que o sustento destas famílias não tem relevância municipal !!!
É. Parece que recuperar a Adega Cooperativa de Lamego (uma instituição que até foi naufragada por um wrestling a quem Francisco Lopes atribuiu a distinção de ser seu vice-presidente camarário), ajudando à sobrevivência dos agricultores e desenvolvendo o sector económico vitícola local, não tem a envergadura dos milhões fundeados num multiusos caído ….  

Mesmo sem o apoio Camarário, que precisa dos seus não fundos para outras ondas magnificas, o plano de viabilização da Adega tem prosseguido com muito esforço e …. vitória das vitórias …. os agricultores associados receberam o pagamento pelas uvas vindimadas e entregues na Adega Cooperativa de Lamego em 2012.
José Manuel Santos tem transpirado na luta de impedir a insolvência da Adega de Lamego, mas conseguiu para já vencer a batalha …. de os seus associados agricultores receberem o pagamento do produto da sua labuta, o que há anos não acontecia !!!

 

O CASPER diz que na Câmara de Francisco Lopes aquela coisa da falta de fundos só funciona mesmo para alguns e que está convencido que as contrapartidas difusas devem ter a ver com as zurzisses do José Manuel à gestão camarária de desbunda financeira … e reeivindicações para a sua Junta de Freguesia de Ferreiros!

 

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

NOTÓRIA DISFUNÇÃO DE CONSCIÊNCIA CÍVICA ......... TAMBÉM PARA SI ILUSTRE JOSÉ MÁRIO FERREIRA ALMEIDA !!!! .





José Mário Ferreira de Almeida um causídico das leis há anos implantado lá para os lados da capital e que foi secretário de Estado de Isaltino Morais, em 2005 respondendo ao apelo do PSD às suas raízes Lamecenses deu o braço a Francisco Lopes e tornou-se Presidente da Assembleia Municipal de Lamego, cargo que abandonou em finais de 2011.
Recentemente, na página do Facebook “Lamego Acontece”, a propósito de uma petição pública que pretende defender o património histórico e cultural das nossas Avenidas Dr. Alfredo de Sousa e Visconde Guedes Teixeira, opondo-se àquela coisa a que chamam Eixo Barroco que as assassinará e fará desaparecer a rotunda onde está a estatua de homenagem ao Soldado Desconhecido, sem assumir se o aprova ou reprova, pretendendo dar uma intensa e valente achegââââââ aos autores e subscritores desta petição, José Mário escreveu que …  
Lamego é uma terra fantástica de gente boa, mas com uma notória disfunção no que respeita à consciência cívica. É pena.”
Não queremos acreditar que com esta tirada disfuncional, o Ilustre tenha pretendido insultar os Lamecenses, que mais não seja porque o opróbrio lhe cairia em cima escarrachado, por causa das tais raízes Lamecenses …
Mas dizer que as gentes de Lamego têm uma disfunção de consciência cívica …. não é bonito !!!
José Mário parece ter chegado a este diagnóstico, por não conseguir perceber, porque é que só agora os Lamecenses se lembraram de vociferar contra o Eixo Barroco.
Tarde ou cedo, já que se lembraram …. e por causa daquela coisa disfuncional, ocorrem-nos algumas explicações que talvez o ajudem a perceber.
Uns, não saberiam a real dimensão do apagão que Francisco Lopes pretende fazer no coração patrimonial e histórico da nossa cidade ….
Alguns, sabendo da situação de falência financeira autárquica, da falta de cheta para pagar os calotes que se arrastam, do processo de saneamento financeiro que nos envergonha e do escaldão com o descachelado multiusos, convenceram-se que o bom sendo e a responsabilidade afastariam novas cavalgadas em chão vazio ….
Outros, recusavam-se a acreditar na ousadia da matança e desaparecimento de uma zona que tem seculos de existência patrimonial e que é o retrato fiel da  identidade histórica e cultural de Lamego.
Os restantes, sim. Manifestaram-se e opuseram-se desde o início, em diferentes locais e por todas as formas. E então ?  Parece que, ou, não os quiseram ouvir, ou, borrifaram-se para a sua opinião …. já que quem manda, adjudicou o Eixo Barroco, tal e qual foi desenhado !!!
Se calhar terá sido esta adjudicação, que fez com que as boas fés Lamecenses, estremecessem e entendessem que o bom senso e a responsabilidade politica é coisa que se não usa por estas bandas.
Se calhar terá sido esta adjudicação, que provou aos incrédulos que a preservação do património, da história e da cultura de Lamego patenteados nas Avenidas Dr. Alfredo de Sousa e Visconde Guedes Teixeira poderão mesmo ir pelo cano abaixo, ou melhor dizendo, pelos empedrulhamentos abaixo …
Achamos que defender o património, a história, a cultura, a identidade secular de Lamego …. tarde ou cedo …….. não é, nem nunca será, uma disfunção de consciência cívica.
Consciência cívica disfuncional será assim, por exemplo, mais do tipo … ser causídico das leis e aprovar contas camarárias que mereceram o chumbo do Tribunal de Contas, abençoar as montagens das Lamego Convidas e Lamego Renovas e as engendrices financeiras que arrombaram as finanças publicas camarárias, autorizar endividamentos de soma e segue, e sem rei, nem roque ….
Notória disfunção de consciência cívica é aprovar-se em Lamego, o que se reprova para o resto do universo do terreno nacional …..
Notória disfunção de consciência cívica é integrar o rol dos carros camarários espatifados, pagos com os nossos impostos.

Já que é assim …  “notória disfunção no que respeita à consciência cívica “…….. também para si Ilustre José Mário Ferreira Almeida !!!

 

 

O CASPER  diz que se deveria perguntar ao Ilustre José Mário Ferreira de Almeida porque é que com a sua funcional consciência cívica não impediu a notória disfunção financeira da Câmara do Francisco Lopes enquanto andou pela Presidência  da Assembleia Municipal de Lamego …