Número total de visualizações de página

domingo, 31 de março de 2013

DA CÂMARA DO FRANCISCO LOPES DIRECTAMENTE PARA AILEU EM TIMOR-LESTE ....









 

Vários Municípios Portugueses vão ajudar a implementar o poder local democrático em Timor Leste.
Está bem.  

A Câmara de Lamego vai ajudar a instalar e a pôr em funcionamento orgãos autárquicos em Timor-Leste, concretamente do Município de Aileu.
Hum …. Hum ….   

A Câmara de Lamego vai receber estagiários, fornecer meios técnicos e materiais adequados à implementação e desenvolvimento de projectos e programas municipais.
Como ?!?!?   

Segundo o Protocolo assinado, a Câmara de Francisco Lopes compromete-se a colaborar regularmente com conhecimentos, experiencias e informação municipal.
Quê ?!?!?

Francisco Lopes assumiu que em breve a sua “ Câmara vai dar formação adequada aos futuros funcionários municipais de Aileu, ao nível administrativo, técnico e informático”.
Valha-nos Deus !!! 

Pobre Câmara Municipal de Aileu …. A desgraça vai entrar-lhe porta a dentro com trajes dourados !!!  

Está-se mesmo a ver o desenho ….

Funcionários municipais de Aileu a receberem aulas do imensurável chefe de gabinete Sô Pinto sobre a melhor técnico-ó-palavreada de pregar calotes e fazer dividas …

Ou, o divinal gestor Francisco Lopes a ensinar-lhes a forma mais rápida e eficaz para desbaratar e aniquilar finanças autárquicas ….

Ou, o emirato financeiro Paulo Correia a professorar-lhes planos de insustentabilidade económica para os próximos 50 anos, cálculos de multiplicações por zeros, montagens e desmontagens financeiro-ó-falidas ….

Já a Sir Coutinho caber-lhe-á a regência das técnicas rastejantes ao chefe divinal e do yes, yes, yes, yes man  … que és tão altamente maravilhoso !!!  

Com os ensinamentos, experiências e informações nascidas, amanhadas e fertilizadas na Câmara do Francisco Lopes, Aileu verá nascer o seu multiuso esbodegado e descambado, a sua Aileu Convida e a sua Aileu Renova …

 

 

 

O CASPER está convencido que por causa dos ensinamentos de conhecimentos, experiências e informações vão ser necessárias viagens autárquicas até Timor-Leste e Aileu dos eminentes mestres e cientistas da Câmara de Lamego 

quarta-feira, 27 de março de 2013

UM NÃO TEIMOSO NA CANDIDATURA À JUNTA DE FREGUESIA ALMACAVE-SÉ !!!

 
 
 
 
Jorge Osório empurrado para ser o candidato da coligação PSD/CDS à Junta de Freguesia da Almacave-Sé ficou irritado com o empurranço …
Indiscutivelmente, nos planos profissionais-ó-politicos  de Jorge Osório não estavam ou estão, nem de longe, nem de perto,  remota ou longinquamente, a possibilidade de ser candidato a presidente de Junta de Feguesia …
Aos empurrantes Jorge Osório tem-se desfeito em justificações justificativas para os fazer deslargarem-no ... e os transeuntes vão ouvindo os recados de que o "man" está muito acima e que é um desperdício profissional-ó-politico pôr as suas capacidades importantisticas ao serviço freguesial  
Falar a Jorge Osório neste ensejo da coligação PSD/CDS é provocar-lhe um ataque de comichão alérgica e irritativa.
Com esta teimosia, negativa e irritadiça de Jorge Osório  .... querem lá ver que o Sô Pinto vai ter de marcar outra reunião comensal em casa dos Lúcios para o Francisco Lopes trazer de volta a candidato o Carlos de Vila Nova de Souto D´El Rei  que continua vago de candidaturas ?!?!?     
 
 
 
O CASPER acha que se o super Jorge Osório se mantiver irritado-ó-teimoso na sua nega, Francisco Lopes pode sempre candidatar pela sua coligação à Junta de Freguesia Almacave-Sé o seu yes-man Coutinho
 

domingo, 24 de março de 2013

CALOTES BANCÁRIOS ....





 
Em Janeiro de 2013, da super mega hiper argamassa dos empréstimos bancários que a Câmara do Francisco Lopes contraiu, cairam prestações no valor de 2 milhões  508 mil 829 euros 95 centimos.

Nos cofres camarários para pagar aos bancos, só havia a singela quantia de 164 mil 259 euros 08 contimos !!!
Por pagar aos bancos, por falta de enchimento da embalagem ficaram 2 milhões 344 mil 570 euros 87 centimos !!!!
Gastar à fartazana com dinheiro de empréstimos bancários a rodos é fácil e folclórico.
Pagar é dificil e impossivel quando não há máquina de fazer euros e não há cheta chetada !!!
Só mesmo, mesmo, mesmo por causa daquela coisa da divida pública que nos obrigam a pagar esmifradamente, alguém deveria levar um recado ao Passos Coelho, Gaspar e Paulo Portas de que em Lamego não foi o povo que andou a viver a cima das suas possibilidades e que a onda tsumanica da gastação autárquica ainda não parou !!!

 
 

  

O CASPER pergunta porque é que os bancos só aplicam ao povo as regras de que quem não paga as prestações bancárias dos empréstimos que fez,  vai viver para debaixo da ponte ….
 
 

sábado, 23 de março de 2013

sexta-feira, 22 de março de 2013

HOSPITAL PRIVADO EM LAMEGO .... PARTE II





Na solenidade cerimoniosa do anúncio do nascimento do Hospital do Douro S.A, foi-nos apavonado Ramón Santamaria, ostentado, entrevistado e fotografado como sendo o guru dos tais investidores do euromilhões espanhol, que decidiram assentar em Lamego um hospital privado.  

Quem é o alardeado Ramón Santamaria ?
José Ramón Santamaria Barreiro de nascimento, começou as suas lides laborativas na banca (Banco Gallego - 1975 a 1988) passando posteriormente a ocupar o cargo de administrador da Clinica de Nossa Senhora de Fátima, localizada em Vigo.
O que se conhece desta Clinica é que para além dos serviços de urgência, traumatologia, cardiologia e maternidade tem como sectores fortes a medicina estética e a unidade de reprodução assistida, que inclui a inseminação de criadores de criancinhas com recurso ao seu banco de esperma e óvulos.
Será que a comissão agenciadora do destino dos edificios do antigo hospital, informou os Irmãos e as Irmãs da Santa Casa destas nuances das estéticas e procriações inseminais ?!
A Clinica Nossa Senhora de Fátima era propriedade do banco La Caixa e estava integrada na rede de clinicas de um aglumerado de seguradoras com o nome de Adeslas, usufruindo essencial dos serviços prestados aos seus segurados.
Em Maio de 2011, 80% do negócio das clinicas da rede Adeslas (onde se incluía a de Nossa S.ª de Fátima), foi vendido ao grupo Goodgrower, que tem sede em Barcelona, e cujo capital pertence integralmente à família Gallardo, dona dos laboratórios de indústria farmacêutica Almirall, continuando os restantes 20% nas mãos da La Caixa.
Desta parceria (80% do Grupo Goodgrower e 20% da La Caixa) nasceu em Novembro de 2012 o Grupo Vithas, que se assume como estando aberto a todas as seguradoras, à colaboração com o serviço nacional de saúde e claro, à prestação de cuidados a simples particulares.
A constituição deste grupo acendeu em Espanha fosforescente polémica já que todo o negócio aconteceu numa altura em que o governo Espanhol anunciou a privatização de alguns hospitais públicos e a farmacêutica Almirall dos irmãos Gallardo viu as suas vendas baixarem em 32,1% e os seus lucros decaírem em 9,35%, como consequência de um maior recurso aos medicamentos genéricos e também da crise espanhola.
Quer dizer: a pavoneação com que nos apresentaram Ramon Santamaria foi um flop !!!
O Senhor é um simples administrador de uma das Clinicas, que integram o recém-criado Grupo Vithas, através do qual os irmãos Gallardo se iniciaram na prestação de cuidados de saúde, através da compra de clinicas que têm subsistido trabalhando para seguradoras (76% da sua actividade), 15% para o sector público da saúde espanhola e só 9% para os simples cidadãos.
Que o mesmo é dizermos: o negócio da Vithas assentou na certeza de que estas clinicas têm assegurada a sua rentabilização em 91%, através do garantido encaminhamento efectuado pelas seguradoras e SNS, e só 9% estão na dependência da volátil procura desses serviços por parte de simples cidadãos.
Em Lamego, no Douro …. não será bem, bem, assim !!!!.
O povo português tem salários inferiores aos espanhóis e está esganadíssimo, a existência de um hospital público que necessita ser rentabilizado afastará a assinatura de protocolos com o SNS para encaminhamento de doentes deste, para o privado à custa do erário público e as seguradoras não funcionam por cá, segundo o esquema esquemático espanhol ….  
Se não explicaram isto, explicadinho aos Vithas e antes lhes apresentaram um filme das produções Lamego Convida …. a coisa pode complicar-se, o Ramón rasga as fotografias e os gurus financeiros para o hospital privado terão de ser outros !!!!
 

 

 

O CASPER deseja o exito do hospital privado em Lamego e diz que a Vithas e a família Gallardo quando ouviu falar no interesse da Câmara do Francisco Lopes em ser parceiro no Hospital do Douro S.A, mandou logo fazer um cartaz a dizer “Colaboraciones Público Privadas. Nos interesan aquellas que sean estables y viables “ para deixar claro que caloteiros e falidos ficam de fora.
 

quinta-feira, 21 de março de 2013

HOSPITAL PRIVADO EM LAMEGO ..... PARTE I


 
 
 
 
Há uns dias atrás fomos obsequiados com uma cerimónia cerimoniosa que nos anunciou um hospital privado em Lamego (Hospital do Douro S.A), espraiado nos edifícios onde funcionou o antigo hospital, que são propriedade da Santa Casa da Misericórdia.
Pasmados com este anúncio publicitário, os cérebros Lamecenses que têm capacidade para refletir sobre a realidade do concelho e as suas necessidades, congeminaram coisas, assim do tipo ….
Para que raio precisamos nós de um hospital privado, se acabamos de ter um hospital público, novinho em folha, charmoso e bem equipado ?
Ou, assim tipo ….
Porque raio é que em vez de um hospital privado, o destino das instalações do antigo hospital, não é uma Unidade de Cuidados Continuados ou Paliativos (comparticipadas pelo estado/serviço nacional de saúde), para que os nossos débeis doentes não tenham que terminar os seus dias de vida nas Unidades da Régua, Resende, Tarouca ou muito mais além ?
E ainda, assim do tipo ….
Se o povo está esganado com a esganação que o Passos, o Portas e o Gaspar lhe arremessou e tem de contar os tostões para ver se arranja uns trocos para pagar taxas moderadoras no hospital público, quem é o pessoal que na zona vai ter eurões para tratar da saúde no hospital privado ?
As congeminações bateram também em ondulações da espécie …. negócio … interpostos … intervenientes …. mediadores …
Pela Santa Casa da Misericórdia ficamos a saber que a mesa administrativa amanhou uma comissão constituída pelo dono da Câmara de Lamego que dá pelo nome de Eng. Francisco Lopes, o Dr. Marques Luís (ex-diretor do antigo hospital e ex-diretor da USF de Lamego) e o Eng. José Pereira (Vice-Provedor) para agenciarem um destino bem agenciado para o edifício.
Parece que ainda houve quem tentasse acender nos neurónios da Santa Casa uma luzinha para que enveredassem pela nossa carenciada Unidade de Cuidados Continuados ou Paliativos, mas o apagão foi imediato.
Para afastar este destino, o Vice Provedor atirou com a justificativa de uma conjunta nacional desfavorável, esquecendo-se que as Misericórdias supostamente existem para socorrer os mais débeis e necessitados, e se em tempos de crise não o fazem …. Que raios. Deslarguem-se que não estão no sitio certo. 
A crise, crise … é mesmo outra ! 
Todas as Unidades de Cuidados Continuados ou Paliativos a funcionar em quase todos os concelhos de Portugal e afetas às Santas Casas da Misericórdia, decorreram de candidaturas a fundos comunitários e contaram com a ajuda financeira das respectivas autarquias, que suportaram a parte não comparticipada para que os seus territórios pudessem contar com estes serviços de apoio e tratamento a doentes que necessitam de cuidados médicos especiais e permanentes.
Lamego padece de um problema exterminante….
Uma Câmara estalada, quebrada, rota, arruinada, falida….
Um presidente de Câmara muito mais dado, absorvido, propenso, cadenciado para os multiusos flácidos, Lamegos Convidas escaqueiradas, Lamego Renovas arrombadas, Eixos Barrocos herniados …
Com uma Câmara descomparticipativa e apenas preocupada com megalomanias supérfluas e gestações inúteis, a Santa Casa da Misericórdia de Lamego sovina no seu pecúlio, escolheu agenciar-se numa sociedade anónima que inseminará um desnecessário hospital privado em Lamego.
O Hospital Douro S.A terá um capital social de 5 milhões de euros. A Santa Casa participará neste capital com 5% que lhe advirão das rendas pelo aluguer dos edifícios e que não serão inferiores a 250.000,00€.
Que o mesmo é dizermos, não recebe a renda do aluguer das instalações, porque o dinheirinho será integrado no capital social da sociedade anónima …
Do restante capital (95%), querem os senhores que 36% se destine a pequenos accionistas locais e 59% ficarão nas mãos de uns investidores espanhóis que mandaram para tirar fotografias na cerimónia cerimoniosa em Lamego um tal de Ramón Santa Maria ! 
A Caixa de Crédito Agrícola Mutuo de Lamego é o banco eleito para os financiamentos transacionáveis. 
Gostamos particularmente que ouvir o Vice Provedor (Eng. José Pereira) a descair-se  …. “ como é natural, os investidores tentam esconder o jogo, cabendo-nos a nós fazer a melhor defesa possível dos interesses da Santa Casa “ ….
Ou, o Presidente do Conselho Fiscal (Dr. João Rebelo) a dizer …. “ se perguntarmos se é o negócio que todos queríamos, não é, mas, neste momento, é o possível. Bom ou mau, o futuro o dirá …”
Também ficamos entusiasmados por saber que os Irmãos e as Irmãs compareceram em peso (como já não se via em 6 anos do mandato do Sr. Provedor, também líder na Assembleia Municipal dos eleitos pelo PSD, e do Presidente da Assembleia, simultaneamente, Municipal e da Santa Casa …. para se inteirarem do negócio espanhol !
Igualmente, ficamos extasiados, quando nos inteiramos que aos Irmãos e às Irmãs bastaram apenas 1 hora e 15 minutos para se informarem e aprovarem o negócio e um hospital privado em Lamego.
Tudo decidido e decididinho sem precisarem sequer de perguntar pelas credenciais dos investidores espanhóis ou de terem uma conversinha de pé de orelha com o tal de Ramón Santa Maria ….
Francisco Lopes nos holofotes mediáticos, abrilhantou o seu empenhamento nesta solução incandescente e lamuriou-se lamurientamente contra a lei que não lhe permite que a sua Câmara seja sócia anónima do hospital privado !!!!!
 
 
 
O CASPER diz que lhe cheira, que a ideia da plantação de um hospital privado em Lamego quando temos um público, deve ter sido da autoria de Francisco Lopes e que o seu plano de viabilidade económica deve ter sido feito pelo emirato financeiro Paulo Correia

domingo, 17 de março de 2013

UM FILME DAS ARÁBIAS ...




Ora pois então …..

Por ser uma coisa super mega hiper falida, a Lamego Convida teve ordem legal de extinção com prazo fixado no final do mês de Fevereiro/2013.
Consumada a extinção, segue-se a imposição de um processo de liquidação total da maligna Lamego Convida !
E liquidação total quer dizer: empacotar os cacarecos, despedir funcionários e ceder à Câmara Municipal os contratados há mais de 1 ano, carregar as mobilias, transferir o pavilhão Alvaro Magalhães, as piscinas, o Teatro Ribeiro Conceição para a autarquia, descarregar sobre a Câmara as dividas, inchar a autarquia com os 49% da Lamego Renova do estraçalhado multiusos … dizer adeus à sede, largar os pópós que faziam o transporte de ida e volta para Viseu e Régua, ou as caçadas !!!
Ora pois então ….
Achavamos nós, que o emirato financeiro Paulo Correia e o emirato presidente administrativo-ó-empresario municipal, que por acaso também é o presidente camarário, andavam ocupadissimos a tratar destas tralhoada toda.
Ora pois então …..  
Os Senhores têm andado a tratar doutros cacarecos !!!
A extinta e liquidatária Lamego Convida  …. Lançou um concurso público para uma obra de construção de um edificio para instalação de instituições sem fins lucrativos. 
A coisa extinta e em liquidação total …. que teve de fechar portas porque não conseguia sequer, render euros suficientes para pagar os próprios salários …. vai adjudicar uma obra pelo preço de 700.000,00€ !!!
E se congeminarmos, que o prazo para apresentação de propostas neste concurso terminará em finais de Março e lhe juntarmos os dias da apreciação das propostas, o prazo para reclamações … na melhor das hipoteses a adjudicação erá lá para Maio. Somemos-lhe, que a construção tem como prazo de conclusão 5 meses, lá para Outubro teremos o tal edificio para instalação de instituições sem fins lucrativos !!!!
Ora pois então ….
Extinta e em processo de liquidação total, este filme concursal e construtivo da Lamego Convida ….. transborda a caldinho das arábias … escarrachado de mirambolices emiratas !!!

 

 

O CASPER diz que faz votos, que a construtora dos Marinhos, anteprevista vencedora do concurso de construção deste edificio, comece a fazer contas à vida ....    

quinta-feira, 14 de março de 2013

CONTROLE ........ EM VEZ DE CONTROL !!!





Há o control …….e ….. o controle.

O control é mais assim …. usar para evitar vírus e bactérias !
O controle é mais assim, do tipo …. usar para controlar !
Há uns tempinhos atrás ouvimos uns zururus … que zururavam contra a Delegação de Lamego da Cruz Vermelha por ter entregado à Câmara de Lamego os alimentos que recolheu através do seus voluntariado junto do povo de Lamego e arredores, para que fosse a autarquia a oferece-los ….
Os zururus, zururavam contra a Cruz Vermelha de Lamego por ter permitido que a pobreza, a fome e a desgraça fossem utilizadas como palco político camarário.
 

A Cruz Vermelha é uma instituição humanitária não governamental.
Que o mesmo é dizermos …. Só pode e deve usar …. control !!!
A Delegação de Lamego parece usar mais o ….. controle.
Depois dos zururus dos cabazes alimentares, o Tenente Coronel José Ribeiro da Silva, fez-se  re-indicar para a re-presidência da Delegação de Lamego da Cruz Vermelha e indicou para seus companheiros da direcção nada mais, nada menos, do que 2 Vereadores da Câmara de Lamego ………..  Marina Vale e Manuel Coutinho !!!!
Claro que os Senhores Vereadores podem dizer-nos que estão a vestir o casaco do voluntariado mas ….. como o casaco tem o carimbo camarário ….. o controle zurura !!!!
É pena.
Nestas coisas das humanitárias não-governamentais não pode, nem deve, cheirar sequer a usações de controle.
A control … pode e deve.
Os vírus e as bactérias são um perigo perigoso e eminente para as populações desfavorecidas, desfalecidas, desamparadas, desprotegidas .... que as organizações humanitárias não-governamentais têm a obrigação de combater.

 

 

O CASPER diz que aguarda ansiosamente para ver, nos próximos peditórios e recolhas alimentares da Cruz Vermelha de Lamego, a Marina e o Coutinho de caixinha ao pescoço e saquinhos na mão a pedir o contributo do bom povo Lamecense. 
 

quinta-feira, 7 de março de 2013

DESTRUIÇÃO CAMARÁRIA ........




Em Janeiro de 2013 que por acaso é o primeiro mês de um ano de 12 meses, a Câmara do Francisco Lopes assumiu compromissos de 18.285.118€ ….

Que o mesmo é dizermos, que comprou, adjudicou, desbaratou ….. 18.285.118€ que tem de pagar !!!

A estes mais de 18 milhões, juntam-se 19.658. 857,63€ que são calotes anteriores a Janeiro de 2013 …

Que o mesmo é dizermos que, comprou, adjudicou, desbaratou ….. 19.658. 857,63€ sem ter euros para pagar !!!!

A estes 18.285.118€ mais os 19.658. 857,63€ arrastados que teve de descarregar em Janeiro de 2013, o Francisco Lopes conseguiu a linda quantia de compromissos assumidos e não pagos de 37.973.975,53€ !!!!

Que o mesmo é dizermos, em Janeiro de 2013 que por acaso é o primeiro mês de um ano que tem 12 meses, a Câmara do Francisco Lopes já tem calotes de quase 40 milhões de euros !!!

A isto só pode chamar-se …….  destruição financeira acelerada e incendiada ….. de uma Câmara Municipal !!!!

Francisco Lopes & Companhia é um destruidor camarário.

 

 

O CASPER diz que este filme tem cenas e um fim demasiado e irremediavelmente previsíveis  
 

segunda-feira, 4 de março de 2013

NO RANKING DAS CÂMARAS CALOTEIRAS E FALIDAS .... LAMEGO !!!






Com a publicação no Diário da Republica das 65 Câmaras Municipais que em Portugal recorreram ao PAEL (II) ficamos a saber que no ranking das falências autárquicas nacionais, Lamego ocupa o 7º lugar ….
Como se já não fosse ferozmente ruim, se fizermos umas continhas proporcionais e comparativas com a área territorial e o número da população residente dos 6 concelhos que nos batem, percebemos que a situação da Câmara de Francisco Lopes é indecorosa, pérfida, brutal !!!!
O PAEL teve como objectivo ajudar as Câmaras caloteiras a pagar o que não tinham conseguido pagar aos fornecedores até Março de 2012 ....
A 31 de Março de 2012 a Câmara de Lamego tinha dividas a fornecedores de, pelo menos, 12.304.304,69 € …. Com este empréstimo para pagar aos fornecedores, Francisco Lopes soma-lhe juros e outros encargos bancários.
Nos próximos 14 anos a Câmara de Lamego a somar aos restantes milhões de todos os empréstimos anteriores vai arcar com mais 12.304.304,69 € !!!!
A imoralidade da gestão diabólica que levou a tal estragação autárquica é directamente proporcional à terminação dos cêntimos de mais estes milhões …
Para receber mais estes milhões emprestados que iremos pagar com impostos, taxas e outras variantes inventivas, a Câmara do Francisco Lopes assinou um Plano  de Ajustamento Financeiro …
O PAEL impede Francisco Lopes de assumir compromissos devedores se a caixa registadora das receitas não tiver fundos …. impede-o de ter calotes que não consiga pagar em 90 dias …. impede-o de contrair mais empréstimos ….
Com o que temos vistos, alguém deveria explicar muito devagarinho e com desenhos a Francisco Lopes o que significa …. Impedido !!!!!  
A gestão endividativa sempre a crescer … a crescer …. até ao enforcamento final ..... teve honras de Diário da República e Despacho Ministerial !!!!  
 

 

O CASPER diz que satânico é mesmo, mesmo, mesmo juntar a infausta situação financeira da Câmara do Francisco Lopes à invenção malévola do Eixo Barroco ….  

sábado, 2 de março de 2013

O BALANCÉ QUE BALANCIOU ......





Já lá vão alguns meses desde que houve uma reunião comensal ao mais alto nível camarário em casa dos Lúcios e em que por entre os comes e bebes, terá sido conjeturado o repto ao Lúcio que dá pelo nome de Carlos e que é presidente da Junta de Vila Nova Souto D´El Rei, para ser o candidato à mega freguesia de Almacave-Sé pela coligação PSD/CDS.
O Carlos deleitou-se com a conjeturação, embandeirou, tratou de assumir-se publicamente como o candidato de Francisco Lopes à grande freguesia citadina e desatou até, a fazer convites a integrantes da sua lista candidata.
Fazendo o servicinho completo e a preceito, o Carlos zelou até de arranjar um candidato substituto pela coligação PSD/CDS à Junta de Vila Nova Souto D´El Rei e assim apareceu o Nuno.
O Nuno passou a assumir-se como o candidato do Francisco Lopes à presidência da Junta de Freguesia de Vila Nova de Souto D´El Rei e apressou-se a fazer convites para a sua lista freguesial.
Chegados aqui …. A coligação do Francisco Lopes tinha a girar no terreno e em velocidade acelerada de convites arrolativos para as respectivas listas e arregimentamentos de apoiantes, os candidatos apossados Carlos (Almacave-Sé) e Nuno (Vila Nova Souto D´El Rei).
Eis senão quando ………. nas ponderações da feitura da próxima lista camarária do PSD/CDS se tornou imperioso “encaminhar” para fora dos lugares candidatos a vereadores ….  Jorge Osório !!
Ora o destino ponderativo e encaminhante para Jorge Osório lançou-o como candidato do Francisco Lopes e da sua coligação a Presidente da Junta da ………. Freguesia Almacave-Sé !!!
Quando lhe contaram, o Carlos não acreditou no trambolhão que se lhe avizinhava e foi pedir explicações.
E recebeu-as ….
Afinal, não era ele o candidato da coligação de Francisco Lopes à híper freguesia da cidade !!!
O seu assentamento no balancé da freguesia Almacave-Sé não passara de mera conjectura propiciada pelos intervalos dos comes e bebes da reunião comensal autárquica em sua casa !!!!   
O Carlos Lúcio está muito machucado!  
O seu assentamento no balancé freguesial rebentou  …… e o trambolhão não foi pequeno!
Nem candidato a Vila Nova de Souto D´El Rei, nem à Almacave-Sé !!!!!
A coligação do PSD/CDS já assumiu o encaminhamento de Jorge Osório para candidato do Francisco Lopes à mega freguesia citadina e o Nuno não se desagarrou da sua candidatura a Vila Nova de Souto D´El Rei por já ter a sua listinha candidata feita à medida.
 

 

O CASPER diz que depois de lhe terem rebentado com o seu assentamento no balancé da Junta de Freguesia Almacave-Sé e pelo muito, que fiou de mercadorias à Câmara do Francisco Lopes, o Carlos deveria exigir um lugar de vereador na lista camarária candidata pela coligação, e se quisesse manter o seu negócio mercantil com a Câmara bastava-lhe fotocopiar o esquema funcional do vereador advogado …